O processo de criação de uma Rede de Franquias é conhecido como Formatação e nada mais é que a preparação de um negócio para que ele seja replicável a outros empreendedores.

Criar (ou formatar) uma rede de franquias é uma solução eficiente principalmente para quem pensa em expandir o seu negócio com agilidade, justamente por poder oferecer velocidade na expansão e fortalecimento de marca. Afinal, sabemos que alguns modelos de negócios simplesmente não possuem a opção de fazer uma expansão mais lenta através de filiais podendo perder o timing, não é mesmo?
Que o franchising é interessante você já sabe, mas qual caminho seguir ou pelo menos por onde começar para criar a sua rede de franquias?
Esta é uma dúvida muito comum quando falamos em franquias. E não é para menos! O franchising possui termos próprios, lei específica e uma série de etapas que, quando pesquisadas de forma aleatória, sem um direcionamento, podem gerar uma grande confusão, principalmente para aqueles que não conhecem muito sobre o assunto.
Para norteá-lo neste emaranhado de informações, listamos algumas dúvidas comuns.

 

Dúvidas comuns sobre a formatação de franquias

Para criar uma rede de franquias, é preciso ter uma marca forte e reconhecida no mercado?

É evidente que esta característica auxilia bastante no processo de expansão de uma rede, mas convenhamos que nenhuma empresa, no início das suas atividades, tem uma marca forte, não é mesmo? Este reconhecimento do mercado é adquirido com o tempo em meio a muito esforço e dedicação de todos os envolvidos.

Posso criar uma rede de franquias sem experiência na operação do negócio?

Não é aconselhável criar e vender uma franquia sem ao menos ter pilotado uma operação própria. O sistema de franquias prevê que seja transmitido aos franqueados todo o conhecimento e a experiência sobre o negócio, e não tem como fazer isso uma vez que ainda não aconteceu, concorda?

Uma microempresa pode se tornar uma rede de franquias?

Esta dúvida é muito comum, principalmente por ser tão recorrente vermos empresas de médio e grande porte promovendo sua expansão por meio do sistema de franquias, no entanto muitas microempresas também estão vendo este modelo como alternativa de crescimento.
É importante compreender que o sucesso de uma rede de franquias não se dá pela dimensão atual do empreendimento, o que é importante está relacionado à capacidade de inovação e diferenciais do modelo de negócio, ou seja, se ele possui as características necessárias para ser atrativo como opção de investimento para os futuros franqueados e também como opção de compra para os clientes finais em diferentes localidades.
A partir disso, temos a pergunta a seguir que é essencial e marca o início de toda rede de franquias:

Será que o meu negócio é franqueável?

Antes de pensar ou tomar qualquer providência em relação a criação de uma rede de franquias, esta é a primeira pergunta que deve ser respondida. Para obter esta resposta, é preciso realizar uma “Análise de Franqueabilidade” do negócio.

O processo de criação de uma rede de franquias

O processo de Análise de Franqueabilidade

De extrema importância, trata-se de uma profunda investigação sobre o negócio para averiguar se ele é compatível ou não com o modelo de franquia e quais são os ajustes necessários para iniciar no franchising de maneira mais assertiva e promissora.
Entre as questões avaliadas e que compõem a análise podemos citar as seguintes:

  • O negócio gera lucratividade e rentabilidade atrativas?
  • O segmento de atuação tem potencial de mercado a ser explorado em outras localidades?
  • Os produtos ou os serviços oferecidos possuem diferenciais que possam se destacar da concorrência?
  • O negócio apresenta diferenciais interessantes a ponto de os empreendedores enxergarem uma ótima oportunidade de negócio?
  • Os processos operacionais do negócio são bem definidos? Podem ser replicáveis, levando em conta a necessidade de padronizá-los e formalizá-los?

Estas são somente algumas perguntas gerais que são feitas durante esta análise. É claro que, dependendo do negócio, existirão questionamentos mais específicos para verificar se ele tem realmente potencial para se tornar uma franquia.

Pois bem, digamos que seu negócio se saiu bem no questionário. A partir do momento que ele corresponde as características necessárias para ser franqueado, os próximos passos seriam montar um contrato de franquia e sair vendendo na cidade e região, certo?
Errado! Não comece a vender franquias com apenas o contrato em mãos ou com qualquer outro documento jurídico. É muito importante que você tenha a consciência de que a criação de uma rede de franquias demanda uma grande dedicação da sua parte em muitos outros pontos para que ela gere os resultados esperados.
Executar as etapas da formatação de uma franquia de qualquer maneira ou pior deixar de realizar algumas delas pode comprometer seriamente o desempenho da rede, fazendo com que você, como franqueador, passe mais tempo atendendo problemas apresentados pelos franqueados do que planejando o futuro da sua nova rede de franquias.

Mas então, como formatar uma franquia da minha empresa?

Para se tornar uma rede de franquias, a empresa deve realizar o processo de formatação. A ação de formatar envolve etapas extensas que exigem bastante atenção do empreendedor para que todos os pontos estejam muito bem alinhados com o modelo de negócio.

Conheça, a seguir, algumas destas importantes etapas que devem ser cumpridas.

Registre sua marca

A marca de uma empresa representa sua essência em relação ao mercado, sendo reconhecida, por exemplo, pelos seus produtos de qualidade e pela excelência do seu atendimento. No caso de uma rede de franquias, todas as unidades carregarão esta importância da marca em seu nome, auxiliando a identificação dos clientes e promovendo o sucesso de toda a rede.
Por conta disso, é muito importante que a marca seja devidamente registrada para que outras empresas não se apropriem da identidade conquistada por ela. Este registro é realizado no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), instituição responsável pela análise de pedidos para registrar marcas no Brasil.
O INPI oferece um sistema de busca para que seja feita a consulta da marca antes de registrá-la.
Saiba que, na análise da marca, é levado em consideração o composto formado pelo nome e logotipo. A empresa que realiza a primeira solicitação deste composto tem prioridade para realizar o registro.

Alinhe o modelo de negócio da franquia

Quando se tem interesse em expandir um negócio por meio de uma rede de franquias, é preciso ter em mente que será necessário realizar algumas adaptações para permitir que sua estrutura seja replicada com sucesso em outros lugares.
O modelo de negócio precisa ter todos os seus processos muito bem definidos para que a duplicação e a padronização da rede aconteçam. Dentre os itens que necessitam ser definidos, podemos citar:

  • Fornecedores homologados;
  • Lista dos produtos a serem vendidos pelo franqueado;
  • Tipos de treinamentos e suporte aos franqueados;
  • Perfil do ponto comercial adequado;
  • Estrutura física operacional do negócio;
  • Perfil ideal de franqueado;
  • Indicadores de desempenho e acompanhamento da operação;
  • Fatores críticos de sucesso da franquia;
  • Estrutura necessária para prestar suporte ao franqueado.

 

Elabore um plano de viabilidade

De modo geral, o plano de negócios serve para avaliar a viabilidade da franquia em termos de investimento e resultado, claro que há um levantamento de informações muito complexo para chegar a estas duas vertentes. É também um material fundamental para a apresentação do negócio a potenciais candidatos à franquia.
Para aqueles que já fazem parte da rede, também é uma ótima ferramenta, pois ajuda a planejar o futuro do negócio, promover a gestão de indicadores, reconhecer oportunidades e estipular metas bem como formas para que elas sejam atingidas. Desta forma, este plano tem um papel fundamental para o sucesso da rede de franquias.
No plano de negócios, é importante que haja uma simulação financeira que tome por base os números colhidos com a unidade piloto, isso porque os candidatos a franqueados buscam saber qual é o valor do investimento, potenciais cenários de faturamento, ponto de equilíbrio, dimensionamento da equipe, qual será o tempo do seu retorno, capital de giro necessário e demais questões relacionadas. Assim, eles terão uma perspectiva mais clara sobre o negócio que estão pretendendo investir.
Quanto aos ganhos, é importante ressaltar que o negócio deve ser bom para ambas as partes: franqueado e franqueadora. Logo, para a franqueadora, as taxas de franquia e de royalties etc. devem satisfazer todos os seus custos que são provenientes do suporte ao franqueado, consultoria de campo, aprimoramento dos produtos e serviços, entre outros.

 

Levante, estruture e formalize todos os processos-chaves do negócio

A relação acordada entre franqueado e franqueadora é justamente que esta transfira todo o seu conhecimento sobre o negócio, que envolve os processos de implantação, operação e gestão, para que a unidade franqueada se desenvolva, de forma mais consciente, rumo aos resultados esperados.

No sistema de franquias, a transferência do conhecimento se dá, principalmente, por estes três veículos:

Manuais de franquia:

São materiais desenvolvidos pelo Franqueador com todas as regras, as normas, os procedimentos e as rotinas para que o Franqueado possa gerir o negócio de forma mais assertiva e dentro dos padrões estipulados. Em geral, os manuais são divididos entre Implantação, Operação e Gestão.

Suporte:

No dia a dia da franquia, podem surgir diversas dúvidas sobre como conduzir o negócio. Para auxiliar nestes momentos, é importante que a franqueadora disponha vários canais de suporte (telefone, e-mails, chats etc.) a fim de manter a rede muito bem informada. Na implantação da franquia, há também um suporte exclusivo para esta fase a fim de que todas as etapas sejam concluídas com sucesso.

Treinamentos:

São importantes momentos de capacitação em que a franqueadora passa ao franqueado e sua equipe de colaboradores todo o conhecimento operacional necessário.

Prepare os documentos jurídicos da rede de franquias

O sistema de franquias é regido por uma lei específica que traz a descrição completa de como deve ser a relação entre franqueado e franqueadora. Com base nesta lei, são criados todos os documentos jurídicos apresentados pela franqueadora para que o franqueado tenha o conhecimento do que está sendo negociado e das normas estabelecidas por ela.
COF (Circular de Oferta de Franquia): neste documento, são expressas todas as informações necessárias para que o candidato a franqueado entenda perfeitamente o modelo de negócio em que está investindo, logo deve ser muito bem redigido para que não haja contratempos com relação ao que está sendo oferecido.
Por este motivo, é importante que a COF seja formulada por um especialista em franquias com o apoio de uma equipe jurídica com experiência no franchising.
Contrato de franquia: é o documento que formaliza o negócio, definindo direitos e deveres do Franqueador e do Franqueado. As regras apresentadas neste contrato devem ser rigorosamente seguidas pelo franqueado, e é importante que sejam abordados neste documento todos os elementos sobre o negócio como, valor, produtos etc.

Atenção! Lembre-se de que estes documentos devem estar de acordo com a lei de franquias, visando não prejudicar a sua rede com questões jurídicas.

Homologue seus fornecedores

Ao se tornar uma franqueadora, é primordial adequar os processos do negócio a ser franqueado e, dentre eles, existe um muito importante: a homologação de fornecedores para abastecer toda a rede.
Forme uma lista de fornecedores que sejam parceiros do negócio, que se comprometam com a produção e a entrega dos produtos e serviços, bem como com a qualidade e a padronização da rede.

Constitua legalmente a franqueadora

Você deverá constituir uma nova empresa para realizar a gestão de suas franquias, ou seja, a franqueadora, a qual deverá ter um CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) específico para exercer a atividade indicada.
Procure uma assessoria contábil para auxiliar neste processo de abertura da franqueadora e demais ações necessárias para a estruturação da rede.

 

Defina o plano de expansão da sua rede de franquias

Criar uma rede de franquias e não pensar em um bom plano de expansão é o mesmo que querer andar de bicicleta sem as rodas. Não dá muito certo!
A expansão da rede deve ser muito bem planejada e estruturada, tendo bem definida a forma como será este crescimento, rápida ou mais lenta, como ele ocorrerá e em que proporções. Por vezes, um crescimento desenfreado, sem nenhum preparo para atender as dificuldades da rede, pode acarretar em muitos problemas para a franqueadora bem como para os seus parceiros franqueados, gerando quebra de contratos, ações jurídicas e, até mesmo, uma imagem ruim da marca aos seus clientes.
Com isso, ao descrever este plano, é preciso considerar o que será lucrativo e viável para a franqueadora. Implantar franquias em estados distantes um do outro logo no início e oferecer suporte presencial, por exemplo, pode implicar na lucratividade da franqueadora. Portanto, existem vários aspectos que devem ser considerados para que o crescimento da rede seja saudável e contínuo.

 

É hora de vender franquias

Com a rede formatada e o plano de expansão bem planejado e alinhado com as expectativas do negócio, basta colocar em prática as ações de captação de franqueados. Após a primeira franquia vendida, saiba que a gestão da franqueadora é de extrema importância, oferecendo todo suporte para que todos os processos de implantação e operação sejam realizados com excelência, atraindo assim cada vez mais interessados em fazer parte da rede.
Deu para perceber que criar uma rede de franquias é uma tarefa um tanto quanto trabalhosa e envolve muito conhecimento de diversas áreas, não é mesmo?
Mas, saiba que não precisa estar sozinho nesta jornada, pois você pode contar com uma consultoria especializada em franquias. Esta equipe de profissionais irá conduzi-lo em todos os processos, orientando-o sobre as melhores práticas do mercado para que você possa chegar a um modelo de negócio capaz de atingir todas as suas expectativas.

Se você ficou com alguma dúvida sobre as etapas de criação de uma rede de franquias, saiba que podemos te ajudar. Fale diretamente com os consultores da RZD Consultoria.

Leave a Reply